Amar de todas as formas


Olho á minha volto, vejo quem me rodeia e o que me rodeia.
“Vivemos num mundo ao contrário” – é certo.
Mas o nosso mundo não tem de ser tão ao contrário quanto isso. Como eu estou sempre a dizer se o nosso pequeno mundo está ao contrário ou não isso só depende da nossa maneira de ver as coisas.
Se escolho ver apenas aquilo de negativo que me rodeia acabo por não valorizar tudo o de positivo que existe e poderá existir!
Eu acredito na “atracção das coisas”, se estamos constantemente a pensar negativo, que não conseguimos e que nunca iremos ter nada de bom é realmente isso que acontece.
É claro que a vida não é côr de rosa, a transbordar de momentos de felicidade, e momentos menos bons há sempre, mas pode ser um bocadinho, se simplesmente o quisermos.
Porque mudar a perspectiva não é pensar que os momentos maus não existem (isso nem seria realista), mudar a perspectiva é pensar que existem momentos bons e momentos menos bons!
Mudar a perspectiva é conseguir olhar á nossa volta e apontar com clareza o que temos de positivo, aquilo que nos faz feliz por instantes, aqueles que nos fazem bem por momentos. E isso apesar de parecer simples não o é! Desde pequenos que somos habituados a ouvir lamurias e descontentamento, somos “programados” a dar toda atenção ao que de menos bom nos acontece, desvalorizando e esquecendo muito daquilo que nos fez sorrir de verdade.
Mudar de perspectiva é deixar de pensar que caminhamos para a felicidade e que esta é uma meta quase inatingivel, mudar de perspectiva é finalmente aceitar que a felicidade está em nós independentemente do que nos acontece.
Mudar de perspectiva é saber que podemos dar sem esperar receber, pois ao me dar ao outro, ao ajuda-lo em momentos dificeis, ao ser um apoio, ao conseguir um sorriso estou a fazê-lo também por mim própria.

Sem dúvida que vão sempre existir situações em que vou duvidar desta nova perspectiva, situações em que me vou abaixo, em que parece que me tiraram o chão e que não vou saber por onde seguir. Mas nesses momentos mudar a perspectiva é compreender que estou nessa encruzilhada por algum motivo e que não estou (nunca) sozinha. É saber que nesse momento de dúvida só tenho de olhar ao meu redor e encontrar aquele ou aquilo que me vai mostrar a minha força para continuar sem medo. É ter a certeza que existe neste mundo pelo menos uma pessoa que me vai compreender sempre, que me vai ouvir sempre e que me vai ajudar sempre, é ter a certeza que nunca estarei sozinha e que há pelo menos uma pessoa que pensa em mim.

E quando finalmente mudamos de perspectiva, passamos para o outro lado, o nosso mundo mesmo que ainda ao contrário, passa a fazer mais sentido em pequenas coisas.
E quando olho em minha volta sinto que amo de todas as formas, sinto que vivo mais intensamente. Penso e vivo no agora. Porque só existe mesmo o agora para viver.
E então aquela conversa descontraida proporciona-me um (breve) momento de felicidade que guardo preciosamente em mim.
E aquela pessoa que toca esporádicamente na minha vida, que sempre me consegue roubar um sorriso, passa a ter mais importância.
E aquele olhar em silêncio que mostra um sorriso cúmplice, uma amizade verdadeira, passam a ser maiores que o simples desentendimento de ideias que houve no segundo que lhe antecedeu.
Mudar de perspectiva pode não parecer fácil, e provavelmente terá de ser um esforço mais ou menos grande conforme a nossa “programação” inicial.
Mas mais vale viver a pensar que tudo o que queremos está em nós, que pode ser real agora ou mais tarde, que temos todo o potencial para criarmos o nosso mundo, nossa realidade, que somos capazes de mudar, de compreender, de saber que o negativo só existe se só escolhermos vê-lo.
O que é bom está nós, rodeia-nos sempre e até é possível dar aos outros.
E quando isso estiver enraizado na nossa mente, no nosso corpo até ao mais pequenino átomo, será então possível amar de todas as formas e viver todos os momentos.
Faz sentido? Pelo menos para mim faz.

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

6 opiniões sobre “Amar de todas as formas”

  1. Tens toda a razão Gorgeous!! E tu para mim és uma dessas pessoas que quando me perco em mim, fazes-me ver o que realmente importa. Primeiro temos de estar em harmonia connosco para estarmos bem com os outros e podermos ajudar e perspectivar melhor a vida!! Positivismo, optimismo são as chaves que deviam sempre guias os nossos pensamentos.
    🙂

  2. Sim é claro que “aquela pessoa especial” dá-nos força e alento. Mas o que eu queria mesmo dizer é que mudar de perspectiva é perceber que a felicidade não está no outro (mesmo que seja muito especial) a felicidade está apenas em nós e assim não a precisamos de procurar em alguém ou alguma coisa e consequentemente ficarmos frustrados por não a “encontrarmos”.
    Só a temos de procurar em nós, e aquela pessoa especial que nos dá todo o amor carinho e força, não nos completa por já sermos nós proprios completos. Temos dentro de nós toda a força e potencial para sermos o que quisermos e termos o que quisermos. E quando temos momentos de dúvida “o outro” ajuda-nos a recordar que dentro de nós isso existe, e quando finalmente interiorizamos isso sabe bem partilhar com quem nos rodeia!
    Quer-se é comentários enormes!! 🙂

  3. Gostei deste post, não só pela verdade que dizes, como pela forma como o dizes.

    Aquela pessoa especial dá-nos uma força extraordinária, às vezes sem fazer nada. A sua existência faz-nos sermos tudo de melhor. São um “patch”, um “upgrade” de nós. Com elas somos aquilo que queremos ser, mas que não temos a fortitude mental para conseguir, face aos ataques do mundo.

    Porque convenhamos, o mundo é bonito, mas dificil. Não me acontece a mim, mas acontece a muita gente muito mal.

    E esse castigo, não vinha?

    De qualquer forma, eu preocupo-me demais, e aproveito o tempo que passo com a minha pessoa especial para viver a vida como melhor sei.

    Desculpa pelo comentário enorme.

  4. Muito bom raciocínio, excelente exposição!

    O difícil é não só pensar, mas sentir essa perspectiva. Porque o que nos anima ou desanima são as emoções…

    Beijinhos.

  5. Belíssimo garota Érika, belíssimo raciocínio!!!!!!!!!!!!!!

    Às vezes, parece ser mais fácil rosnar do que dar um sorriso.

    Quantos passam à vida se lamentando por jamais terem tido coragem de se arriscarem a buscar aquilo com o qual sempre sonharam. “Se chorarmos por ter perdido o sol, as lágrimas nos impedirão de ver as estrelas no céu.”

    Eu quero a vida, a vida olé!!!!!!!!!!!!

    “Eu quero dizer agora, o oposto do que eu disse antes.”
    “Eu prefiro ser esta metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

    O post de hoje está 10!!!!!!!!!!!

    Um grande abraço!!!!!!

    Ítalo Leonardo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s