Report: Rock in Rio


EU fui!

Dia 30 foi um dia mais de apalpar Terreno e sobretudo de cansaço. Cheguei á cidade do rock directo do Algarve. Foi sobretudo para conhecer o recinto e participar nas diversas actvidades.
Quando Paulo Gonzo abriu o Palco Mundo estava eu na Pista de Neve numa de fazer sku (de 3 segundos) mas prontos é SKU.

Se há coisa que me aborrece (aii que expressão algarvia, tudo nos aborrece) são as filas intermináveis para tudo.

Fila interminável para a pista de neve, fila interminável para o slide, fila interminável para o multibanco, fila interminável para comer e pior ainda fila interminável para as casas de banho.

O concerto de Ivete foi confortavelmente visto sentada num puff na “colina da frente”. Amy winehouse foi “apreciada” um pouco mais de perto de onde tive o privilégio de ver bem a queda que ela deu em palco. “Devia ter cancelado” – se não estivesse tão rouca e bebeda tinha dado um bom show de musica. Comecei a ver o concerto com uma sensação de bom humor e lá mais para o fim só conseguia ter pena. De qualquer maneira correspondeu ás espectativas, já esperava algo tão mau, assim do género.

Lenny Kravitz deu um bom espéctaculo, não é o tipo de artista que interaja muito com o público. Lá ia tocando hits ou menos hits e os fans iam acompanhando mais ou menos entusiasmados. Eu posso dizer que com o nível de cansaço que tinha não consegui aproveitar melhor o grande concerto dado por este senhor.

Dia 6 foi O DIA.
Bandas da minha adolescência (como costumo dizer) como The Offspring e Linkin Park foi o que me levou a comprar (com um desconto mt razoável!) o bilhete do Rock para este dia.
Na minha juventude quando ouvia os álbuns de The Offspring e trauteava com furor todas as suas musicas nunca imaginei que algumas vez os fosse ver ao vivo. Por isso a espectativa era muito grande.

Cheguei ao Parque da Bela Vista de Forças renovadas pronta pra me aguentar até aos ultimos minutos do ultimo dia deste grande evento!

Orishas já os tinha visto ao vivo, nada melhor que estes ritmos quentes para começar a aquecer o bichinho que há em nós numa tarde já muito quente, com umas cervejinhas frescas a acompanhar, boa companhia e um belo de um puff pra sentar o cu quando a perna ja grita cansaço.
Kaiser Chiefs não conhecia mas gostei muito da actuação! Bastante energética e gostei das músicas, pode-se dizer que ganharam uma fã.

Muse também (pensava que) não conhecia e fiquei completamente fascinada. A sua actuação ao vivo foi um espéctaculo, banda digna de ser cabeça de cartaz do ultimo dia do Rock.

The Offspring, apesar do problema no som que se manteve até praticamente meio do concerto, foi bastante bom. Cantei, saltei e ao mesmo tempo estava muito atenta á actuação da banda que superou espectativas! Simplesmente adorei.

Ouvir Linkin Park foi uma boa maneira de chegar ao fim deste dia/noite fantásticos. Apesar de alguns momentos mortos da actuação (set list podia ter sido melhor) ouvir músicas como Crawling, One Step Closer e Breaking the Habbit ao vivo (e a cores!) foi o que valeu todo o cansaço que já sentia no corpo.

No fim arrastei-me para o metro até ao oriente. E da estação do Oriente arrastei-me até ao apartamento no Parque das Nações onde tinhamos dormida. No dia a seguir levantei-me para ver o jogo e não me aguentava com as dores musculares. Portugal Ganha 2-0. Viva Portugal!

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

Um pensamento em “Report: Rock in Rio”

  1. Olá Garota!!!

    Está aí um programa legal de se fazer!

    Eu já tive também a oportunidade de ir a um Rock in Rio no Rio de Janeiro e foi absolutamente sensacional, muitíssima gente por toda a parte e os shows então, nossa!!!!! Tive a oportunidade de ver muita gente que eu admirava e já curtia a muito tempo, bandas como Metálica, Guns N’Roses, Joe Cocker e tantos outros, nessa época Ivete Sangalo (que também Gosto muito e tive o prazer de assistir inúmeros Shows) nem existia como cantora ainda.

    Enfim, acho que vou começar a juntar dinheiro em meu cofrinho para ir ao próximo Rock in Rio desta vez porém em Lisboa, já que no Rio acho que não terá mais.

    Belo post.

    Até mais!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s