“Nem para ti és boa!”


É o que tenho ouvido e ignorado várias vezes. Nem para mim propria sou boa e é verdade. Faço planos de mudança (pessoal, fisica, mental, espiritual) que não me obrigo a cumprir.

Devo ter nascido sem o gene de força de vontade. Ou melhor, devo ter nascido com um gene que é dominante em relação ao gene da força de vontade para fazer coisas positivas para mim.

Quanto mais me destruo, mais me lamento. Quanto mais me canso de mim mesma, menos força tenho para mudar. E aqui estou eu presa neste ciclo vicioso da negatividade, que quero mesmo sair, mas ara sair, não basta querer, tenho de fazer. “I hve to be a do’er” é a melhor expressão que me ocorre. E tenho de fazer as coisas e não só querer fazer as coisas.

Tenho de encontrar a força de vontade e pelo menos para mim, ser boa.

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s