A Primeira Vez na Costa da Caparica.


Daniela seguia caminho para a estação do Oriente no Alfa-pendular que partira de Faro às 6.55. Não conseguia dar lugar ao sono que ainda rondava o corpo dela pois os nervos tomavam conta de si a cada quilómetro percorrido. Não era a primeira vez que fazia esta viagem. Quando finalmente saia daquele comboio, continuava a sentir-se em casa, talvez mais ainda do que quando estava efectivamente em casa.
Chegando á estação olhou em volta e encontrou-a, Laura, a sua grande amiga já a esperava. Abraçaram-se e sorriram.

“A que horas combinaste?” perguntou Laura.
“Ás 14, assim dá-lhe tempo para chegar aqui da margem sul”

Daniela iria conhecer João.
Encontrou-o sem querer numa noite de insónia numa chat-room. Nunca fora hábito dela frequentar tais sitios na internet, mas por impulso começou conversa com alguém escolhido completamente ao acaso. A conversa evoluiu até trocarem e-mails pessoais e depois números de telefone. Ligavam um para o outro, todos os dias, conversavam sobre tudo! Sobre os problemas desse dia, as divergências com os namorados. Trocavam gargalhadas sobre assuntos sem nenhum significado. Descobriram entre si vários pontos em comum, demasiadas coincidências. Trocaram um ano de conversas sem nunca perceberem o mais óbvio, completavam-se. Todos os dias ansiavam voz um do outro, todos os dias faziam parte um do outro cada vez mais.

“Preciso de ter ver” Disse João naquela noite.
A hipótese de estarem juntos fisicamente nunca tinha sido pensada!

E ali estava ela finalmente mais perto. Nessa manhã parecia que as horas se arrastavam e a ansiedade aumentava de um modo que a sufocava!
Ele ligou-lhe: “Onde estás? “Estou de costas para a entrada principal. Tu?” “Acabei de entrar, espera, já te vi”.
Quando se voltou para a porta viu um rapaz alto e elegante, com olhos de um azul profundo e doce. Ele abraçou-a e disse-lhe ao ouvido “Olá pequenina!” Ela riu-se e ficaram abraçados o que pareceu uma eternidade.
“Vens comigo?” perguntou. Ela iria sem medo.

Percorreram todo o caminho até á Costa da Caparica quase em silêncio. Parecia que havia medo de falar mas não era isso. Todas as palavras já haviam sido ditas, queriam aproveitar todos os silêncios presentes, cada toque, som ou cheiro. “És mesmo tímida!” disse João em tom de brincadeira! “Já te tinha dito que sim! Tu é que não querias acreditar!” Chegaram a um dos sítios favoritos de João, a praia da Fonte da Telha.
Sentaram-se num pequeno muro de cimento a contemplar o mar e o horizonte. Ele fixou o olhar nela e Daniela tremeu. Beijaram-se. Esse momento ficou intensamente gravado na alma de ambos.
“Não pude resistir.”

Seria a primeira vez que Daniela visitava a Costa da Caparica e a primeira vez que sentiu aquela paixão imensa dentro de si. Ficaram em silêncio simplesmente a conhecer tudo o que os seus corpos lhes diziam.
Não haviam espaço para mais palavras naquela tarde.

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

2 opiniões sobre “A Primeira Vez na Costa da Caparica.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s