Há os Complicados e os Simples


Sou uma pessoa complicada, se é que essa definição alguma vez faça sentido. Não sei se haverá mesmo pessoas simples ou pessoas complicadas, mas existe a ideia de que esse tipo de pessoas existem.
Sou então aquilo a que chamam: uma pessoa complicada.
Por vezes reajo com indiferença a tal afirmação e por outras vezes algo dentro de mim ferve muito veemente, com revolta, angústia, desespero.
“És calada, reservada, discreta, não tomas a iniciativa.” – disse em tom perjurativo . “Enfim, és assim, mas que poderei fazer?” – como se de uma doença incurável se tratasse, algo que vem no pacote mas que não se quer e que se tem de levar à força, sem escolha. Talvez não seja uma pessoa fácil. Não comunico fluentemente, não sei falar com as pessoas, tenho dificuldades em perceber conversas de ocasião. Não me ensinaram a expressão por palavras com sons. Não me ensinaram a expressão por gestos e acções.

Ensinaram-me o silêncio, a distância. Aprendi-os como defesa e como ataque.

“Talvez te consiga mudar.” é a frase que me deixa em fúria. Ninguém muda ninguém, seja porque motivo for. Simplesmente ensinamos ao outro comportamentos, acções, atitudes, que o outro adopta (consciente ou inconscientemente) e então com esse novo conhecimento modela-se, adapta-se, transforma-se, mas mantém a sua essência (no fundo). Numa situação de defesa (ou ataque!) voltamos ao que somos na nossa essência e o que aprendemos de novo perde-se e terá de ser novamente resgatado. Eu tenho (alguma) noção do que sou. Sei as minhas dificuldades e limitações, sei também que as tenho de ultrapassar e para isso vou aprendendo a faze-lo com quem realmente me aceite na minha essência. Complicada ou não existirá sempre alguém com uma maneira simples de me perceber e principalmente de me ver. E mais importante do que saber as minhas dificuldades e limitações, sei quais são as minhas forças e virtudes, é curioso que essas sejam raramente realçadas. Mas isso é toda uma outra conversa.

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s