“If It Kills Me”



Nem o céu azul te vai salvar deste momento.
O momento que encontramos a liberdade em nós mesmos, em que somos livres um no outro.
Não é para fazer sentido e tu sabes.
Dá-me a mão e sente comigo todos os defeitos delicados da minha pele!
Conhece os teus e ensina-me.
Quero saber-te debaixo da minha pele e de repente tiras-me a alma e a deixas nua, inquieta.
Arrancas-me palavras dos lábios e sons incertos que nunca conheci.
Amar deixa de ser um vácuo, um afazer, um dever! Passa a ser mais porque tu me mostras como se faz.
De repente os teus passos fazem eco nos caminhos sombrios do meu corpo e fazes-me saber que já não estou sozinha. Não…
A partir deste momento tudo é diferente, entregaste-me o teu olhar como prova de que aquilo que dizes reticente e receoso de mágoa é sentido, inspirado e respirado.
E questionas porque todas as minhas palavras são tuas.

Eu não sei e sei.

Pela mesma razão que acordo contigo em mim e me deito sempre comigo em ti!
Porque este é o momento que me marcas com um amor incondicional manchado de mágoa e decisões incertas.
E nada te salva deste momento, em que me feres a pele a ferro quente, para que sempre me recorde que é verdadeiramente tua.
E a mim nada me salva da doença ignóbil de não resistir à razão que prevalece.
É uma praga não ouvir o que realmente comanda a minha voz que geme a teu belo prazer.
E mesmo agora quando tudo já não faz sentido continua a ser mais presente que nunca.
E lamento que este seja apenas mais um playback da memória.
O teu cheiro que já não existe e o som que já não ouço.
É seca a reprodução da lembrança, mas necessária.
É involuntária mas consciente, é um exercício para não te deixar morrer neste momento.
Para não Me deixar morrer.

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s