Não desistir.


Houve alguém que me disse que não conseguia estar comigo por causa da minha força, da minha vontade de não desistir. Que se sente tão frágil a ponto de a inspiração de outra pessoa não lhe dar alento mas sim derrota-a. Compreendi. Por vezes a vida trás-nos demasiados desafios, todos ao mesmo tempo, que parece que nunca teremos a força necessária para os ultrapassar. Desafios é dizer pouco, é como se houvesse um conluio do Universo contra nós…Como se não houvesse mais ninguém no planeta, porque tem ele (o Universo) de se ocupar em nos dificultar a vida??? É fácil deixar-mo-nos ir com a corrente e deixar de nadar, esbracejamos um pouco – «Sim!!!! Eu tentei! Tu viste!» – Será que tentamos as vezes suficientes com a força necessária? É fácil responder que sim, encolher os ombros e assumir «Não sou eu que não consigo! É só que é demasiado difícil!» Porque lutar é ainda mais difícil. Esbracejar contra a corrente, sobreviver, “to overcome” é mais difícil. Acreditar ainda é mais difícil. E mais complicado ainda é não desistir. Compreendi. Também eu já pensei que seria mais fácil fechar os olhos e ignorar, contar-me a história do “fiz aquilo que pude”. Será que fiz mesmo? É essa a pergunta tramada. A que nos faz duvidar e pensar se realmente estaremos a desistir daquilo que é mais importante – nós próprios e os nossos sonhos.

E foi isso que me perguntei. Será que fiz mesmo o que tinha ao meu alcance para atingir os meus objectivos? Estarão essas vitórias tão longe do meu caminho? Serei eu capaz de algum dia alcança-las? Se não o fizer, estarei eu a desistir de uma parte de mim?

Sim.  Se desistir daquilo que um dia pensei, sonhei, projectei (o que for) para mim, sim estou a desistir de uma parte de mim. Talvez seja por isso que sinta constantemente um pequeno vazio dentro de mim, uma falta de qualquer coisa que nunca soube explicar. São os pedacinhos da minha alma, da minha existência, da minha mente, que fui abrindo mão. Em nome de quê? Do medo de falhar? Do medo de os outros acharem que vou falhar? Do medo de que não haja validação?

Deixei de ouvir as previsões de falhar, deixei de procurar a validação dos outros. Deixei de ter medo de tentar. O melhor que pode acontecer é conseguir, o pior que pode acontecer é não conseguir. E se não conseguir? Traço outros objectivos, tento outra vez, tento mais tarde, mas enquanto for possível e enquanto for aquilo que desejo tento não deixar cair mais essa parte de mim.

E é assim que penso, um dia de cada vez, qualquer que seja a circunstância, mesmo que o karma me dê uma chapada na cara, mesmo que o Universo me dê um pontapé no cú: não vou desistir.

Porque se desistir o pior que pode acontecer é morrer por dentro e viver num sonambulismo permanente. E isso não é viver. Se é pra viver é para fazê-lo como deve ser.

 

Autor: Erika

Quem escreve: De nome: Erika. Tenta escrever o que mais lhe apetece. Tenta ser simpática. Quando não reclama, sugere. Sorri muito. Atribui significados importantes à musica, ás cores, cheiros, sabores, texturas. Teimosa, orgulhosa, ambiciosa q.b., não cria espectativas, cria objectivos. Gosta de dormir, é preguiçosa mas detesta preguiçar. Perde-se na internet. Perde-se naquele momento perfeito. Perde-se na fotografia. Perde-se nas pessoas. Perde-se na paixão. É apenas mais alguém que escreve.

Um pensamento em “Não desistir.”

  1. Muito bem dito! Dás-me permissão para o partilhar em todo o lado e mais algum? É que eu própria não podia ter dito melhor “Se é pra viver é para fazê-lo como deve ser.” =D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s