O segredo de um desejo

O segredo é o que nos move. É o que nos faz continuar querer ser um do outro. Porque é segredo, porque ainda há segredo. Há mistério. Povoas os meus pensamentos em fantasias que chegam sem esperar.
Penso em ti, de dia de noite. Sei quando estás com alguém e sim, sinto ciúme. Sei quando estás comigo.
Quando estivemos juntos conhecemos um no outro o suficiente para haver mais segredo,  mais desejo que nos faz querer desvendar o mistério. Mas não temos pressa! Ambos gostamos deste jogo. É a curiosidade o nosso fuel.
Gostamos tanto deste desejo que temos de acarinha-lo com palavras doces, não mostra-lo tão óbvio, tão exasperado. Escondemo-lo com mensagens atenciosas, com sentimentos ulteriores. Disfarçamo-lo de consequência da paixão. Mas não é verdade, ele é a causa! Ele é o cerne da questão e tudo gira em volta dele. Queremos tão avidamente chegar a ele e ao mesmo tempo mantê-lo por perto e saborear docemente.
É uma dor agridoce a que sentimos quando alimentamos o desejo.  Como quando o sexo está tão teso e excitado que dói e no entanto resistimos á tentação, ao momento final.
É o querer encontrar-te, pensar em ti , fantasiar contigo. Saber que bastam poucos gestos para estar contigo e ao mesmo tempo construir barreiras colocar “se’s” e “ma’s” que evitam que concretizemos o nosso desejo. Sei que queres mas até que ponto queres?
Se penso para além do momento? Sim. Acredito que fez crescer dentro de nós uma vontade de pensar como seria para além do desejo. Pensar como seria se fosse realmente tua. De pensar na realidade para além do mundo envolto em segredo que construímos.
É isso que nos faz continuar. Será apenas isso que procuramos um no outro?